Chegada das chuvas derruba preços de produtos na Ceasa


Chegada das chuvas derruba preços de produtos na Ceasa

Se as chuvas permanecerem na média, os valores podem reduzir em média em até 30%

Por Jangadeiro FM em Ceará

2 de fevereiro de 2017 às 07:00

Há 9 horas

Os preços baixos dos produtos hortigrangeiros da Ceasa se devem ao investimento do produtor rural, que acreditou na boa colheita (FOTO: Reprodução)

As chuvas da pré-estação chuvosa, temporada que se encerrou na última terça-feira (31), provocaram uma queda nos preços de alguns produtos hortigrangeiros vendidos na Ceasa, no Ceará.

Só o tomate reduziu de 270% no preço do quilo, desde dezembro. Se as chuvas permanecerem na média, os valores podem reduzir ainda mais, chegando aos 30%. Quem comemora é o consumidor.

As regiões do Cariri e Ibiapaba concentraram as maiores precipitações só na pré-estação chuvosa, que compreendeu os últimos dois meses, com média de 148 e 108 milímetros, respectivamente.

Apesar da Funceme ter avaliado que este período foi abaixo da média histórica em 20%, a chegada da água foi um fator predominante para a redução dos preços de quatro produtos vendidos na central de abastecimento, como feijão verde, o tomate, o pimentão e a batata inglesa.

Segundo o analista de mercado da Ceasa, Odálio Girão, as chuvas que caíram em janeiro, mesmo que isoladas, resultaram no aumento da safra e também a queda dos preços. “O feijão verde está em torno de oito reais, chegou a custar doze. Também temos o pimentão,que também baixou de preço, dois reais o quilo do pimentão, um preço muito bom. Também a batata inglesa, que está em torno de dois reais e trinta, e o tomate que é o quarto produto, está se mantendo com um preço bom, chegando a um real e 60”, especifica Odálio em entrevista à Rede Jangadeiro FM.

De acordo com Odálio, os preços baixos dos produtos hortigrangeiros da Ceasa se devem ao investimento do produtor rural, que acreditou na boa colheita e deixou um bom estoque para este primeiro semestre. “Como nós temos ainda uma reserva boa e também passou a chover na região da Ibiapaba, o produtor ficou mais confiante, plantou mais”, justifica Odálio.

Se as precipitações se mantiverem pelo menos na média de 40%, como previsto pela Funceme, os preços dos alimentos que chegam a Ceasa podem sofrer uma redução de até 30% e a safra de outros produtos ser positiva.

Segundo o levantamento da Ceasa, em um mês, o quilo do feijão verde sofreu uma queda de 50%, quando passou de R$ 12 para R$ 8, devido às chuvas no Cariri e Baturité, já que as maiores produções são de lá. A batata inglesa não tem produção aqui no estado, vem de estados como Bahia, Paraíba e Minas Gerais, mas por conta das fortes chuvas, se valor também reduziu, atingindo o preço médio de R$ 1,80 até R$ 2 o quilo.

A maior queda foi do tomate, que também tem safra na Ibiapaba, Paraíba e Pernambuco. Seu valor em dezembro era de R$ 6 o quilo. Hoje pode ser encontrado até por R$ 1,60, uma diferença de 275 %.

Saiba os detalhes na reportagem de Felipe Sampaio, da Rede Jangadeiro FM:

http://jgdprod-us.s3.amazonaws.com/wp-content/uploads/sites/2/2017/01/010217-materia-produtos-ceasa-queda-valor1.mp3



Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *