Gêmeos mantêm-se vivos dando as mãos dentro do útero da mãe


Foto: Reprodução/Mirror
Foto: Reprodução/Mirror

Ainda no útero da mãe, os gêmeos Rowan e Blake já mostravam forte companheirismo. Já nos primeiros meses de gestação, Hayley Lampshire, 27 anos, descobriu que os filhos que esperava precisavam dividir o saco amniótico. Dessa forma, eles precisavam evitar movimentos para que não se separassem e também para que não acabassem se enforcando com os cordões umbilicais. Mas depois veio o alívio. Durante quase todos os nove meses, os pequenos ficaram imóveis, como se estivessem de conchinha, e de mãos aparentemente dadas. <3

“Meu marido e eu ficamos de corações partidos ao pensar que os bebês estavam em perigo. E nós não pudemos fazer nada para ajudar, eles precisavam se cuidar. Ficamos aliviados ao ver os exames”, contou a mãe ao Mirror.

No exame já dá pra notar a proximidade dos dois. Foto: Reprodução/Mirror
No exame já dá pra notar a proximidade dos dois. Foto: Reprodução/Mirror

Depois da primeira vez que viu os meninos encaixados e seguros, a cada exame os pais se maravilhavam ao vê-los crescendo unidos assim. Quando nasceram, em 25 de agosto, Rowan e Blake pesavam aproximadamente 2 quilos, cada um.

Futuro

“Quando eles estiverem mais velhos, vamos contar o quanto a ligação deles é forte”, disse Hayley.

Foto: Reprodução/Mirror
Charlie e Hayley com os filhos. Foto: Reprodução/Mirror



Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *