Henrique Meirelles nega candidatura ao Planalto em 2018 – Política



Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles é filiado ao PSD e é um dos principais nomes governistas para a eleição
Clauber Cleber Caetano/PR – 28.8.2017

Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles é filiado ao PSD e é um dos principais nomes governistas para a eleição

Cotado como um dos possíveis nomes governistas na disputa para o Palácio do Planalto no ano que vem, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, negou nesta quarta-feira (13) que seja pré-candidato a presidente da República em 2018. A declaração foi dada na tarde de hoje por meio de um post no Twitter.

Leia também: Temer e Geddel repartiram propina paga pela Odebrecht, diz Funaro

Mais cedo, Henrique Meirelles
recebeu para almoço em sua casa deputados da bancada de seu partido, o PSD. O líder da legenda na Câmara dos Deputados, Marcos Montes (MG), afirmou, ao deixar o encontro, que o grupo convidou o ministro para se candidatar ao mais alto cargo do Executivo em 2018.

“Eu não sou pré-candidato à Presidência da República. Estou concentrado em meu trabalho na Fazenda, para colocar o Brasil na rota do crescimento sustentado. Fiquei muito honrado com as palavras de todos os deputados do PSD. Seguirei debatendo a política econômica com todos os parlamentares”, disse Meirelles em uma série de postagens, cerca de uma hora após o fim da reunião.

De acordo com Marcos Montes, no encontro foi dito a Meirelles que, “se existe um nome que preenche os requisitos do mercado e de quem vive o dia a dia da economia, mas principalmente da sociedade, o nome dele cai como uma luva”. De acordo com o parlamentar, o ministro recebeu as colocações “com entusiasmo”.

Leia também: Ex-governador Anthony Garotinho é preso pela PF no Rio de Janeiro

“Recebe sempre com entusiasmo, recebe como integrante do partido, com o espírito de brasileiro que tem. Se, porventura, [Meirelles] vier a ser chamado, a gente tem convicção de que atenderá ao chamado da sociedade”, destacou o parlamentar. Para o deputado, não é importante o fato de Meirelles estar empenhado na implementação de uma agenda impopular, que abrange as reformas trabalhista e da Previdência, por exemplo.

Oficialmente, por meio de nota enviada pela sua assessoria de imprensa, o ministro
da Fazenda afirmou que, durante o encontro, foram tratados assuntos referentes à situação econômica do Brasil.

Ajuste das contas públicas

O líder do PSD na Câmara comentou sobre as medidas do governo para tentar equilibrar as contas públicas e que podem ser vistas como impopulares por grande parte da população, mas negou que isso seja um empecilho para a eventual candidatura.

Leia também: Por unanimidade, STF decide manter Janot em investigações contra Temer

“A medida impopular está fazendo o país crescer. É claro, tem que ter sacrifícios. Acho que isso será colocado em apreciação pela sociedade. A sociedade não vai ser ludibriada por populismo. Os sacrifícios são muitos, inclusive para nós, deputados”, acrescentou Montes sobre a gestão de Henrique Meirelles à frente do Ministério da Fazenda
.


* Com informações da Agência Brasil



Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *