por que Jadson é vital no Corinthians


Time de Fábio Carille passou sufoco nos últimos jogos assim que camisa 10 foi substituído. Contra o Coritiba, sem ele, produção ofensiva caiu drasticamente, atestando a importância

  • separator

Apesar das atuações recentes terem sido mais criticadas do que o normal e da concorrência ter elevado o nível, o meia Jadson ainda é um dos jogadores mais importantes do Corinthians em 2017. E isso não se explica apenas pelos cinco jogos como capitão ou os cinco gols e cinco assistências distribuídos em 24 partidas. O camisa 10 do Timão é vital para o funcionamento da engrenagem do técnico Fábio Carille e sua ausência tem fragilizado a proposta de jogo corintiana. Maior exemplo é o empate sem gols com o Coritiba deste domingo.

Diante do Coxa, o Corinthians poupou Jadson por desgaste físico e sofreu para criar jogadas ofensivas. Além de não ter acertado nenhuma finalização ao longo dos 90 minutos, a equipe ainda errou 13% das tentativas de passe, mais da metade dos lançamentos e 90% de seus cruzamentos. O camisa 10 faz falta justamente neste sentido: ele tem “passe qualificado”, dificilmente falha na distribuição de jogo atuando centralizado ou aberto e ajuda a equipe a prender a bola no campo de ataque.

Em pelo menos duas oportunidades recentes, a dificuldade de controlar o jogo quase custou caro ao Corinthians. Contra o Vasco, Jadson saiu aos 28 minutos do segundo tempo, quando o Timão vencia por 3 a 2. Logo em seguida, o time carioca armou boa chance pelo lado que ele ocupava e quase marcou um gol com Luis Fabiano. Diante do Cruzeiro, no dia 14, mais do mesmo: substituição aos 30 da etapa complementar seguida por forte pressão do adversário, que teve mais facilidade para ter a bola no pé e criar oportunidades de gol. A sorte é que no primeiro jogo o Vasco falhou na defesa e permitiu a goleada por 5 a 2 e no segundo Cássio garantiu a vitória por 1 a 0 com boas defesas.

Titular da equipe ideal de Carille, Jadson tem sido contestado nas últimas semanas, especialmente após Marquinhos Gabriel ganhar sequência de jogos durante a ausência de Rodriguinho na Seleção Brasileira e mostrar qualidade. Diante do Coritiba, Marquinhos seguiu na equipe atuando na ponta-direita, mas foi substituído por lesão e é dúvida para os próximos compromissos.

Na quinta-feira, contra o Bahia, a tendência é que Jadson volte ao time e seja escalado pelo lado direito do ataque, com Rodriguinho centralizado e Romero pela esquerda. É como o Corinthians foi campeão paulista. É como o Corinthians tem funcionado.




Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *