Vacinação antirrábica é prorrogada no RN


Somente 43 dos 167 municípios do Estado (25.74%) atingiram a meta da cobertura vacinal mínima de 80% proposta pelo Ministério da Saúde. O número ainda pode ser ampliado, visto que 46 municípios não atualizaram os dados no sistema após o dia “D” realizado no dia 7 de outubro. Por essa razão, a Campanha de Vacinação Antirrábica Canina e Felina será prorrogada até o dia 3 de novembro.

A data está sendo considerada como o prazo final para inclusão dos dados no SI-PNI, quando a campanha será finalizada. A atual situação epidemiológica da raiva no RN aponta para 16 animais diagnosticados laboratorialmente positivos para a doença, por esse motivo a Secretaria Estadual de Saúde (SESAP) reforça a importância de uma boa cobertura vacinal para evitar casos de raiva humana transmitida por cão ou gato. Outro lembrete da Sesap é que mesmo com o fim da campanha, a vacina continua disponível para os animais nos centros de controle de zoonoses ou secretarias municipais de saúde.

Recomendação

A recomendação é vacinar animais a partir de 2 meses de idade. Deve-se repetir após 30 dias a dose nos primovacinados, ou seja, animais que tomaram a vacina pela primeira vez na campanha, independente da idade. A vacina pode ser utilizada em fêmeas prenhes ou que estejam amamentando. A única restrição são os animais doentes ou que estejam fazendo uso de antiinflamatórios ou antibióticos. Os animais só devem ser vacinados quando estiverem saudáveis (se alimentando normalmente, ativos, sem vômito ou diarréia).

Esse ano, de janeiro a outubro, 16 animais já foram diagnosticados com raiva no RN em dez municípios, sendo 09 morcegos, 03 raposas, 02 bovinos e 02 equinos. “Esta situação nos preocupa, pois demonstra a circulação viral no ciclo silvestre. Sendo assim, chamamos a atenção para a vacinação, principalmente dos felinos domésticos, pois esses animais são excelentes predadores. Ainda hoje em todo o mundo, especialmente na Ásia e África, a raiva humana transmitida por cão mata em torno de 55.000 pessoas todos os anos. Por isso vacinar é uma medida de extrema importância para a proteção da saúde animal e sobretudo da saúde humana”, afirmou Iraci Nestor, coordenadora de promoção à saúde da Secretaria de Estado da Saúde Pública.  



Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *